Pesquisadores descobrem uma lesão epigenética em Hippocampus da doença de Alzheimer - Olho Solitário
Navigation

Pesquisadores descobrem uma lesão epigenética em Hippocampus da doença de Alzheimer

Alzheimer, epidemia, genética, doenças

A doença de Alzheimer pode chegar a faixa de epidemia, nas próximas décadas, com o aumento da idade média de society.There são duas questões-chave para a doença de Alzheimer: não há atualmente nenhum tratamento eficaz e tem sido descrito muito poucas alterações genéticas associadas (mutações) que reduz a número de alvos para futuras terapias.

Doença de Alzheimer

Patologicamente, a doença de Alzheimer é caracterizada pela acumulação de depósitos de proteína no cérebro de pacientes. Estes depósitos são formados por placas de uma proteína chamada beta-amilóide e emaranhados laminados de proteína tau. A principal causa destas lesões na maioria dos casos é desconhecida, mas as alterações específicas na regulação da expressão de genes podem estar envolvidos.

Hoje, a revista internacional em neurologia Hippocampus publica um artigo liderada por Manel Esteller, diretor da Epigenética e Biologia do Câncer, do Instituto de Pesquisa Biomédica de Bellvitge (IDIBEL), ICREA pesquisador e professor de Genética na Universidade de Barcelona, ​​com a colaboração da Institute of Neuropathology IDIBELL conduzido por Isidre Ferrer, demonstrando pela primeira vez a existência de uma lesão epigenética no hipocampo do cérebro de pacientes com a doença de Alzheimer.

Switches no hipocampo

"Nós começamos a estudar 30.000 interruptores moleculares que ligam e desligam genes na região do hipocampo no cérebro dos doentes de Alzheimer em diferentes estágios da doença e em comparação com a de pacientes saudáveis ​​da mesma idade. Notamos que dusp22 gene desliga (metilatos ), como o avanço da doença ", explicou Manel Esteller, diretor do estudo.

"Mas o mais importante" continua "foi a descoberta de que este gene regula a proteína tau. Talvez, por conseguinte, a acumulação de proteína tau produzida no cérebro de pacientes com Alzheimer resultados de inativação dusp22 epigenética."

Segundo Esteller "a descoberta é relevante não só para determinar as causas da doença, mas também para testar tratamentos potenciais no futuro para agir sobre esses interruptores moleculares epigenéticas".

10 formas simples de prevenir a Doença de Alzheimer:

01 – Tenha uma alimentação rica em frutas e legumes. Foi demonstrado cientificamente que os alimentos que combatem Alzheimer são mirtilos, vegetais de folha verde, como brócolis ou espinafres e maçãs.

02 – Insira na sua alimentação óleos vegetais ricos em Ômega 3, incluindo sementes de canhamo e de linho. Pode também ingerir óleo de peixe, mas certifique-se quanto à fonte e nutrientes, já que muitos peixes possuem toxicidade de mercúrio, que pode causar Alzheimer.

03 – Certifique-se que está a incluir na sua alimentação uma quantidade suficiente de antioxidantes. Como foi já mencionado, comer frutas e legumes é uma das melhores maneiras de combater os radicais livres. O chocolate, chá verde, vitamina E e vitamina C são outros antioxidantes que podem desempenhar um importante papel contra a doença de Alzheimer.

04 – Um novo estudo de uma equipa de investigadores do Instituto para a Estudo Biológico de Salk demonstrou que um tipo específico de antioxidantes presente nos morangos pode auxiliar a memória e proteger o cérebro do desenvolvimento de Alzheimer.

05 – Um novo estudo do Instituto Karolinska de Estocolmo provou que as diabetes aumentam gradualmente o risco do desenvolvimento de Alzheimer. As diabetes estão associadas a altos níveis de açúcar no sangue.

06 – Um novo estudo demonstrou que uma pessoa com colesterol alto, alta pressão sanguínea e obesidade tem muito mais possibilidades (+ 600%) de perder funções cerebrais e ser-lhe diagnosticado Alzheimer do que pessoas que mantenha um peso equilibrado e que mantenha uma alimentação saudável.

07 – O pigmento na cúrcuma que atribui ao caril a sua cor amarela pode também ajudar a quebrar as “placas” que marcam o cérebro de doentes com Alzheimer, sugerem as últimas pesquisas.

08 – Evite o mercúrio. Como foi já mencionado, muito peixes estão contaminados com mercúrio, por isso pesquise quais os peixes que são seguros e livres de mercúrio. Por vezes, as vacinas são outra causa da toxicidade por mercúrio.

09 – Desafie a sua mente todos os dias. As pesquisas sugerem que a estimulação mental, falar duas línguas, viajar, puzzles, e aprender a tocar um instrumento são boas formas de combater a senilidade precoce e Alzheimer. Aprenda algo novo todos os dias, mesmo que seja um número de telefone ou uma palavra.

10 – Regule o stress. Está provado que o stress corroí a mente e o corpo, produzindo uma hormona que prejudica o cérebro. A meditação, yôga, arte ou jardinagem são apenas algumas das formas de gerir o stress.

Fonte: http://2045.com/
Fonte: http://www.alimentacaosaudavel.org/
Share

Lúcio Soares

Gosto de pesquisar sobre variados assuntos e principalmente aqueles que a grande mídia não divulga. Desde o inicio com o Blog Olho Solitário tenho aprendido muito e sei que na busca da verdade não estamos sozinhos.

O que achou? Comente aqui:

0 comentários:

Aqui você é livre para comentar. Obrigado pela visita!