Ku Klux Klan X Panteras Negras Como compreender o preconceito, Quais são os estímulos para a intolerância? - Olho Solitário
Navigation

Ku Klux Klan X Panteras Negras Como compreender o preconceito, Quais são os estímulos para a intolerância?

Ku Klux Klan, Panteras negras, intolerância, preconceito, Seita

Há cem anos, 5 milhões de americanos pertenciam ao Ku Klux Klan, incluindo presidentes, políticos e empresários. Hoje, o grupo está mais vivo do que nunca. Neste episódio, Daniel Estulin explica o fenômeno: os usos de elite dos EUA para impor o controle através do sistema de castas. Divida as pessoas por classe, raça, bairros dos Estados Unidos ... está prestes a se tornar uma nação grupos infinitos fragmentadas de pessoas que estão em uma guerra com o outro.

Ku Klux Klan (também conhecida como KKK) é o nome de várias organizações racistas dos Estados Unidos que apoiam a supremacia branca e o protestantismo (padrão conhecido também como WASP) em detrimento de outras religiões. A KKK, em seu período mais forte, foi localizada principalmente na região sul dos Estados Unidos, em estados como Texas e Mississipi.

A primeira Ku Klux Klan na verdade foi fundada pelo general Nathan Bedford Forrest da cidade de Pulaski, Tennessee, em 1865 após o final da Guerra Civil Americana. Seu objetivo era impedir a integração social dos negros recém-libertados, como por exemplo, adquirir terras e ter direitos concedidos aos outros cidadãos, como votar. O nome, cujo registro mais antigo é de 1867, parece derivar da palavra grega kýklos(do grego κύκλος), que significa "círculo", "anel", e da palavra inglesa clan (clã) escrita com k. Devido aos métodos violentos da KKK, há a hipótese de o nome ter-se inspirado no som feito quando se coloca um rifle pronto para atirar.

Na década de 1930, o nazismo exerceu uma certa atração sobre a Ku Klux Klan. Não passou disso, porém. A aproximação com os alemães foi bruscamente encerrada na Segunda Guerra Mundial, depois do ataque japonês à base estadunidense de Pearl Harbor, quando muitos membros se alistaram no exército para lutar contra o "perigo amarelo". Só faltava o tiro de misericórdia ao império invisível. Em 1944, o serviço de contribuições diretas cobrou uma dívida da Klan, pendente desde 1920. Incapaz de honrar o compromisso, a organização morreu pela segunda vez.

Em contrapartida surgiu o grupo denominado de Panteras Negras.

A finalidade original do partido era patrulhar guetos negros para proteger os residentes dos atos de brutalidade da polícia. Posteriormente, os Panteras Negras tornaram-se um grupo revolucionário marxista que defendia o armamento de todos os negros, a isenção dos negros de pagamento de impostos e de todas as sanções da chamada "América Branca", a libertação de todos os negros da cadeia e o pagamento de indenizações aos negros por séculos de exploração branca. A ala mais radical do movimento defendia a luta armada. Em seu pico, nos anos de 1960, o número de membros dos Panteras Negras excedeu 2 mil, e a organização coordenou sedes nas principais cidades

Os confrontos entre os Panteras Negras e a polícia, nos anos de 1960 e nos anos de 1970, resultaram em vários tiroteios na Califórnia, em Nova Iorque e em Chicago. Um desses confrontos resultou na prisão de Huey Newton pelo assassinato de um policial.

Na medida em que alguns membros do partido foram considerados culpados de atos criminosos, o grupo passou a ser alvo de ataques violentos por parte da polícia, o que suscitou investigações, no Congresso dos Estados Unidos, sobre a repressão policial contra os Panteras. Em meados dos anos de 1970, a perda de muitos membros e queda da simpatia do público pelos líderes negros, levaram a uma mudança dos métodos do partido, que passou a se dedicar à atividade política convencional e à prestação de serviços sociais às comunidades negras.

O Partido dos Panteras Negras foi um partido político revolucionário norte-americano, fundado em 1966,na cidade de Oakland, Califórnia, por Huey Newton e Bobby Seale. Originalmente chamado Partido Pantera Negra para Auto-defesa (em inglês, Black Panther Party for Self-Defense), tornou-se mais conhecido posteriormente como Black Panther Party.

Quando na Historia humana não haverá preconceito entre os homens? 


Obsessões são pensamentos, impulsos ou imagens mentais, desagradáveis, estranhos face a historia de vida de quem os tem, e que surgem de uma forma repetida e que resistem a ser expulsos da consciência. O fato de surgirem instrutivamente, vindos do nada, de continuarem a intrometer-se na vida do dia-a-dia, de resistirem a desaparecer, apesar dos esforços nesse sentido, e a própria estranheza dos seus conteúdos, origina um elevado desconforto e ansiedade e a pessoa sente-se compelida a fazer algo para reduzir esse mal-estar.
Este tópico relata como uma pessoa pode pensar ou agir diante do mundo ou sobre um assunto central que neste caso se trata do preconceito racial o texto deixa uma leve impressão sobre um tema muito importante mais pouco considerado na sociedade. A mensagem subliminar que é eficaz quanto o seu uso nas mentes humanas. Ousaria afirmamos de que parte do preconceito vem dessa ferramenta chamada SUBLIMINAR já é provado a eficiência deste método invasivo às nossas mentes.
Surgem, assim, as compulsões, ou rituais compulsivos, (ou, ainda numa outra designação que preferimos os comportamentos protetores) que acabam por cumprir uma função de controle da ansiedade, ainda que inadequado. Estes comportamentos protetores são, na maior parte das vezes, comportamentos exteriores e, contrariamente às obsessões, que se passam na privacidade do espírito de cada um, tornam-se bastante visíveis para os outros. É precisamente por constituírem a face visível desta perturbação que se tornaram o aspecto mais conhecido.
 Neste tópico podemos claramente perceber o quanto as ações exteriores podem nos influenciar a certos conceitos e opiniões. O Hitler é um exemplo disso sempre vislumbrou um mundo seu apenas seu onde o mesmo creditava de perfeito. A sua obsessão por isso o fez um verdadeiro açougueiro. Onde realizava experiências terríveis em nome do que ele chamava de Arianos perfeitos, hoje sabemos que isso tudo se confronta perfeitamente com a Nova Ordem que pretende elaborar um mundo a seus moldes e padrões. Sendo uma verdadeira arca de Noé onde apenas os ricos e malfeitores, corruptos, impostores serão embarcados 
Dissonância cognitiva

Termo cunhado pelo psicólogo americano Leon Festinger  em 1956 no seu livro “When Prophecy Fails”.
A teoria da dissonância cognitiva defende a ideia segundo a qual 1) as pessoas são geralmente auto motivadas no sentido de reduzir a dissonância ideológica (incoerência de ideias) mediante a alteração das suas percepções e cognições, ao mesmo tempo que criam outras cognições para cimentar o seu sistema de crenças– ou, 2) em alternativa, reduzindo a importância que se dá aos elementos ideológicos dissonantes e incoerentes que podem perturbar o seu sistema de crenças.

Quando as pessoas pretendem que as suas expectativas se tornem reais, exigem que a realidade se adequem àquilo que elas pensam que deveria ser, no sentido de encontrarem um senso de equilíbrio. Mas quando a realidade não se adéqua àquilo que essas pessoas pensam que deveria ser, então elas entram em dissonância cognitiva e numa sensação de desconforto e de mal-estar. Para o obvio a esta situação, essas pessoas tentarão sempre evitar situações ou fontes de informação que mostrem lembranças a sentimentos de desconforto e, por isso, de dissonância cognitiva.

Por exemplo, é possível que alguém que é contra as touradas não passe sem comer carne de bovino. Para "remendar" essa incoerência (dissonância cognitiva) que a incomoda, essa pessoa pura e simplesmente desvaloriza a morte dos animais nos matadouros, dizendo por exemplo que “é uma morte rápida”. Por outro lado, possivelmente essa pessoa poderá ser contra as touradas e a favor do aborto livre: e para remendar a contradição (dissonância cognitiva) que consiste em defender a vida de um animal e não assumir a mesma posição em relação à vida humana, essa pessoa dirá que “a vida humana só começa a partir de um determinado tempo – por exemplo, 12 semanas – de gestação intrauterina”. Tentando desvalorizar os dados provenientes da realidade, essa pessoa transforma a realidade em si mesma naquilo que ela quer que esta seja.

A dissonância cognitiva funciona segundo o processo de “redução da dissonância”, por três vias: a primeira, consiste em reduzir a importância dos fatos que contradizem as suas expectativas acerca da realidade; a segunda consiste em adicionar elementos de consonância (por exemplo, dizendo que “a vida humana só começa às 12 semanas”: trata-se aqui de um elemento de consonância ou de adequação da realidade com a crença da pessoa); a terceira consiste em mudar a substância dos fatores de dissonância (por exemplo, separando os fatos da morte do touro na arena, por um lado, da morte do animal no matadouro, por outro lado).
Em outras palavras a dissonância cognitiva se elevando ao tópico (preconceito) se define da seguinte maneira: A mídia nos apresenta uma cena ou uma situação por varias vezes repetitivamente com essa informação em nosso cérebro ou até mesmo sob a visão nós nos tornamos inclinados a crer no que nos é indicado ou sugerido e sempre que nos confrontamos a estas imagens e sugestões em outra situações na vida teremos então a lembranças do que nos fora apresentado outrora, isso sem duvida também é aplicado ao cultivo e adubação da ideia sugerida como o preconceito seja no Brasil ou no mundo. Um exemplo bem claro disso são as novelas da GLOBO percebam que sempre tem um negro servindo de empregado em casas lindas e luxuosas e não são necessariamente de pessoas brancas mais demonstram ou insinuam o lugar que deve se manter. Subordinado. Outro bom exemplo é a maneira que se trata da pobreza percebam que as novelas exibem sempre as favelas como lugar perigoso e essa imagem cativa dentro das mentes dos telespectadores a ideia central do desejado. Sempre que lembrarmos dessas informações já teremos involuntariamente uma opinião pré-moldada ou seja (preconceito) sendo que isto é quase que sem volta. Acreditamos que todas essas ferramentas reunidas tem contribuído substancialmente no modo de agir e de pensar das pessoas sobre o um determinado assunto como o preconceito racial e outros.
Fontes de estudo. 

Fonte: http://pt.wikipedia.org/
Fonte: http://actualidad.rt.com/ 
Fonte: http://oficinadepsicologia.com/
Fonte: http://sofos.wikidot.com/


Share

Lúcio Soares

Gosto de pesquisar sobre variados assuntos e principalmente aqueles que a grande mídia não divulga. Desde o inicio com o Blog Olho Solitário tenho aprendido muito e sei que na busca da verdade não estamos sozinhos.

O que achou? Comente aqui:

0 comentários:

Aqui você é livre para comentar. Obrigado pela visita!