Insulina inalável deve ser lançada nos EUA no começo de 2015 - Olho Solitário
Navigation

Insulina inalável deve ser lançada nos EUA no começo de 2015

Diabetes, insulina, aparelho, glicemia, controle

O controle da diabetes deve ficar mais fácil a partir do ano que vem: a Afrezza, insulina inalável em pó, deve ser lançada no primeiro trimestre de 2015 nos Estados Unidos, depois de um acordo firmado entre a MannKind, laboratório que desenvolveu o produto, e a Sanofi, uma das maiores empresas farmacêuticas do mundo.

O medicamento já havia sido aprovado para comercialização pela FDA (Food and Drug Administration) no começo de julho, após testes com mais de 3 mil participantes portadores de diabetes dos tipos 1 ou 2.

No entanto, não deve ser o fim das picadas e injeções, como observa a matéria do G1: quem tem o tipo 1 da doença deverá também fazer uso da insulina do tipo lento para controle da glicemia — a Afrezza é uma insulina do tipo rápido, cujos resultados no nível de açúcar no sangue são alcançados entre 12 e 15 minutos após o uso. Além disso, o medicamento em pó é desaconselhado para pessoas que fumam e/ou com problemas respiratórios.


De acordo com a Sanofi é de licença exclusiva em nível mundial. O pagamento inicial à MannKind será de 150 milhões de dólares, podendo chegar a 925 milhões de dólares, caso todos os objetivos comerciais sejam atingidos. Os lucros e prejuízos serão repartidos em 65% para a Sanofi e 35% para a MannKind. Como reflexo, as ações do laboratório já subiram 30%.

Se ainda não é um tipo de controle totalmente automático, como o dos pâncreas biônicos que vêm sendo desenvolvidos, já é um avanço considerável e uma ótima notícia para os quase 350 milhões de portadores da doença ao redor do mundo. [MannKind via Business Insider]

Imagens: MannKind

Fonte: http://gizmodo.uol.com.br

Share

Lúcio Soares

Gosto de pesquisar sobre variados assuntos e principalmente aqueles que a grande mídia não divulga. Desde o inicio com o Blog Olho Solitário tenho aprendido muito e sei que na busca da verdade não estamos sozinhos.

O que achou? Comente aqui:

0 comentários:

Aqui você é livre para comentar. Obrigado pela visita!