PROJETO 'UFODATA' QUER MONITORAR O CÉU PERMANENTEMENTE EM BUSCA DE OVNIS - Olho Solitário
Navigation

PROJETO 'UFODATA' QUER MONITORAR O CÉU PERMANENTEMENTE EM BUSCA DE OVNIS

ufodata, monitoramento, céu, OVNI, ufologia

A iniciativa pretende fazer dos estudos ufológicos uma ciência mais rigorosa e implantar uma rede global para observar OVNIs em tempo integral.

Uma equipe de cientistas e pesquisadores se reuniu e lançou um projeto visionário, que pretende contribuir de forma ampla para esclarecer um dos principais enigmas da atualidade, que são os UFOs (Unidentified Flying Objects, ou Objetos Voadores Não Identificados, em português).

Esta iniciativa recebeu o nome de UFODATA (UFO Detection and TrAcking, Detecção e Rastreamento de OVNI, em português). A equipe do projeto diz que quer fazer do estudo de fenômenos ufológicos uma ciência rigorosa e sistemática, e para tanto, pretende projetar, construir e implantar uma rede global de estações de vigilância automatizada, que irá monitorar os céus em busca de UFOs, em tempo integral.

Embora seja organizado como uma rede de voluntários que não atuem com uma sede fixa, o projeto UFODATA, que é uma organização sem fins lucrativos, deriva de um desdobramento do Center for UFO Studies (Centro de Estudos de OVNIs), fundado na década de 1970 por J. Allen Hynek, astrônomo profissional que cunhou o termo close encounters, ou contatos imediatos, como se diz no Brasil.

O projeto UFODATA

Quando criou o Centro de Estudos de UFOs, em 1973, Hynek queria reunir cientistas e outros especialistas técnicos altamente treinados, para trabalhar no intuito de esclarecer o que seriam os OVNIs.

Agora, 42 anos depois, o projeto UFODATA pretende fazer a mesma coisa, mas com a ajuda desta inovadora futura rede global de estações de vigilância. Cada estação contará com instrumentos de fotometria, espectroscopia, magnetometria e instrumentação de rádio-espectrometria. Os primeiros alvos do projeto serão locais conhecidos como hotspots (“pontos quentes”), onde avistamentos de OVNIs são frequentes, como no oeste dos Estados Unidos e Hessdalen, na Noruega.

Com a instalação das estações, a iniciativa espera recolher o máximo de dados físicos que for possível sobre OVNIs como, por exemplo, o tipo e a intensidade da radiação que está sendo emitida pelo objeto não identificado, mudanças na luz observada, entre outros.

Mark Rodeghier, membro do conselho e diretor científico do Projeto UFODATA, além de presidente do Centro de Estudos de OVNIs desde a morte de J. Allen Hynek, em 1986, concebeu o Projeto UFODATA juntamente com Alexander Wendt, um cientista político da Universidade Estadual de Ohio. O projeto conta também com cientistas provenientes da Itália, Países Baixos, Reino Unido e Chile.

Outro membro do conselho é a proeminente Leslie Kean, jornalista investigativa e autora de best-sellers a respeito de OVNIs, que quando começou a investigar o fenômeno, era completamente cética, e atualmente defende que estes objetos sejam reais.

A equipe do projeto diz que seu primeiro objetivo é levantar dinheiro suficiente para projetar e construir um protótipo de estação, e que esta fase dure aproximadamente 1 ano. Após este período, o projeto vai implantar a primeira estação definitiva e começar a construção de mais estações adicionais com ajuda de financiamento.

O fenômeno OVNI

A grande maioria dos relatos de OVNIs pode ser facilmente identificada como interpretações errôneas de fenômenos e objetos naturais ou artificiais (criados pelo ser humano), como, por exemplo, avistamentos de estrelas e planetas, balões, aeronaves secretas ou experimentais, e até mesmo pássaros ou insetos capturados em fotos de telefone celular, entre muitas fontes possíveis.

O Projeto UFODATA está interessado na pequena, mas potencialmente significativa parcela de avistamentos reais que não podem ser explicados facilmente.

Fonte: http://br.blastingnews.com
Share

Lúcio Soares

Gosto de pesquisar sobre variados assuntos e principalmente aqueles que a grande mídia não divulga. Desde o inicio com o Blog Olho Solitário tenho aprendido muito e sei que na busca da verdade não estamos sozinhos.

O que achou? Comente aqui:

0 comentários:

Aqui você é livre para comentar. Obrigado pela visita!