As pessoas têm teoria da conspiração sobre a CIA Inventory Phrase Conspiracy Theory - Olho Solitário
Navigation

As pessoas têm teoria da conspiração sobre a CIA Inventory Phrase Conspiracy Theory

teoria da conspiração, CIA, quem matou John Kennedy,

POR: JULIA BANIM EM: 17 MAR 2020 12:53

Desde o pouso na lua até os impostores de Avril Lavigne, muitas pessoas adoram mastigar uma suculenta teoria da conspiração, por mais tola que seja.

No entanto, e se o próprio termo "teoria da conspiração" fosse de fato uma teoria da conspiração, empurrada para a consciência pública pela CIA como uma maneira de desacreditar as pessoas?

De acordo com essa teoria da conspiração alucinante dentro de uma teoria da conspiração, a CIA criou a frase em 1967 para desqualificar aqueles que questionavam a narrativa oficial do assassinato do presidente John F. Kennedy - com algumas dúvidas de que Lee Harvey Oswald havia sido um atirador solitário.


Essa teoria foi discutida recentemente em The Conversation , em um artigo escrito pelo professor de História Literária e Cultural Americana da Universidade de Tübingen, Michael Butter.

Em sua peça, o professor Butter explicou que existem duas versões dessa conspiração - uma moderada e outra extrema.

A versão extrema alega que a CIA literalmente inventou o termo, com as palavras 'conspiração' e 'teoria' nunca antes combinadas.

A versão moderada - e mais popular - reconhece a existência anterior do termo, mas alega que a CIA criou deliberadamente as conotações negativas dele, transformando o rótulo em "uma ferramenta de propaganda política".


Segundo o professor Butter, a versão mais extrema pode ser facilmente refutada, com a frase 'teoria da conspiração' surgindo por volta do ano de 1870, antes de ser usada com mais frequência nos anos 50.

Ambas as versões se referem a um documento oficial da CIA - intitulado Concerning Criticism of the Warren Report - como sendo a chamada 'arma de fumar'.

Este documento foi divulgado em 1976 após ser solicitado pelo The New York Times sob a Lei de Liberdade de Informação e demonstrou preocupação com o número de pessoas que tinham dúvidas sobre a investigação oficial de assassinato de JFK, intitulada Warren Commission.

Este documento também forneceu aos contatos da CIA os argumentos a serem usados ​​contra aqueles que contestavam as conclusões da Comissão Warren, apontando as falácias lógicas das versões não oficiais do assassinato.


No entanto, embora o professor Butter reconheça que a tentativa da CIA de influenciar a opinião pública pode ser interpretada como `` problemática '', o documento não contém uma sentença que sugira que a CIA pretenda usar a frase 'teoria da conspiração' para desacreditar qualquer crítica.

De fato, o termo singular "teoria da conspiração" não pode ser encontrado em nenhum lugar do documento, enquanto o plural "teorias da conspiração" é usado apenas uma vez no terceiro parágrafo, de fato e de maneira "casual".

Professor Butter escreveu:
Os autores do documento implantam o termo de maneira muito casual e, obviamente, não sentem a necessidade de defini-lo. Isso indica que não era um termo novo, mas já era amplamente usado na época para descrever contas alternativas.
Em nenhum momento os autores recomendam o uso do rótulo "teoria da conspiração" para estigmatizar explicações alternativas do assassinato de Kennedy. Isso sugere que o termo ainda não havia adquirido o mesmo nível de negatividade que possui hoje.


Desde o século XVII até a década de 1950, as teorias da conspiração eram vistas como uma maneira amplamente aceita de entender os eventos globais e as versões oficiais dos eventos, e eram regularmente articuladas pelas elites.

No entanto, no final da década de 1950 e no início da década de 1960, as teorias da conspiração começaram a ser vistas de maneira estigmatizada e, na década de 1980, o termo passou a ter conotações muito negativas.

Professor Butter escreveu:
A razão pela qual tantas pessoas acreditam na idéia de que a CIA inventou o termo "teoria da conspiração" está relacionada ao papel do assassinato de Kennedy na história mais ampla do conceito e sua popularidade.
Pode parecer que estamos vivendo uma era da teoria da conspiração, mas essas teorias eram ainda mais populares no passado.
[...] Um efeito colateral desse movimento do mainstream para as margens da sociedade foi que as teorias da conspiração começaram a atingir principalmente as elites sociais e políticas. Eles não estão mais preocupados com supostas conspirações contra o estado, mas com aquelas orquestradas pelo estado.
Como observado pelo professor Butter, outra razão pela qual o rótulo 'teoria da conspiração' ou 'teórico' ficou estigmatizado foi que também se tornou pejorativo, com o assassinato de Kennedy sendo a primeira grande instância em que os teóricos da conspiração acusavam o governo de tramar secretos.
É por isso que, como explicado pelo professor Butter, os teóricos da conspiração costumam retrospectivamente considerar o amplo uso do termo como uma tentativa de desacreditar relatos não oficiais do assassinato de JFK.

Share

Lúcio Soares

Gosto de pesquisar sobre variados assuntos e principalmente aqueles que a grande mídia não divulga. Desde o inicio com o Blog Olho Solitário tenho aprendido muito e sei que na busca da verdade não estamos sozinhos.

O que achou? Comente aqui:

0 comentários:

Aqui você é livre para comentar. Obrigado pela visita!